Inteligência


Inteligência

Nós ocidentais tivemos o nosso pensamento organizado por Aristóteles. Foi ele que, no século IV a.C. propôs uma ordem lógica de classificação do mundo, onde as conclusões dependem – linearmente- de certos princípios. O silogismo aristotélico que regulou o nosso pensamento até agora baseia-se na premissa maior mais premissa menor igual a conclusão.

Os orientais –literalmente por outro lado- pensam em totalidades dentro de totalidades. Ou seja, enquanto nós nos esforçamos para usar a bicicleta, o pessoal do lado de lá passeia de Ferrari.

Dizem que o maior gênio da humanidade foi Leonardo da Vinci. O interessante é a razão disso: Einstein era brilhante em visão espacial, mas péssimo em alemão. Leonardo da Vinci era ótimo como matemático, grande como físico, excelente como médico; como pintor, não vamos nem comentar. A generalidade traz a pluralidade de pensamento que reforça e sofistica a inteligência; enquanto a especialização cristaliza pensamentos e posturas. No tempo, a inteligência é muito mais o equilíbrio de uma bailarina do que o poder de um ditador.

Para maiores informações, entre em contato.



Para saber mais sobre engenharia holística, soluções inspiradas na natureza, monetização de deseconomias, petróleo e gás, treinamentos ou incorporação do Big Data ao seu dia-a-dia, siga-nos nas redes sociais.